sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Um de oito

Álcool de ogiva salpicando cica
em todos os olhos
e amanhece paixão

Mesmo sonho de bana
decascando o cru da carne química

aurora verde do último degrau
nos pormenores do paredão de pedra

espelho verde aquarela

e a terra volta no barrigar pra cima

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Pouco Barulho

Assaltei-a.

Pé ante pé avancei pelo

silêncio das assoalhadas,


Até chegar a um quarto, onde

julguei ouvir dormir alguém.


Mantive o sangue frio.

Pé ante pé encaminhei-me para a saída

Fechei a porta da casa- sem fazer muito barulho,

Saí da minha vida.


Não caí na tentação de da mesma

comigo trazer coisa alguma.

Pois, que coisa me serviria?

Bruno Sousa Villar